Você está aqui
Home > Santas Missões Populares > III RETIRO ARQUIDIOCESANO DAS SANTAS MISSÕES POPULARES | 12 E 13 DE NOVEMBRO DE 2016

III RETIRO ARQUIDIOCESANO DAS SANTAS MISSÕES POPULARES | 12 E 13 DE NOVEMBRO DE 2016

Sábado e Domingo, dias 12 e 13 de Novembro, no Centro de Eventos de Londrina, aconteceu o III Retiro Arquidiocesano das Santas Missões Populares. Cerca de 3mil pessoas estiveram presentes, vindas de todas as paróquias da diocese.
A São Vicente estava presente e participando deste grande momento formativo, com a presença do Padre Luis Mosconi (condutor do Retiro).
Seguem fotos do evento e também o depoimento de Maria Elias Custódio. Ela fala um pouco sua compreensão deste momento fecundo a Igreja, e também da questão missionária.

SOBRE 3º RETIRO ARQUIDIOCESANO NA CIDADE DE LONDRINA
Quando vivenciamos a experiência dos Retiros espirituais, temos a oportunidade de fazer reflexões sob temas que normalmente passam despercebidos no nosso cotidiano.
Dentre todos os momentos vividos ontem, diga-se 3º Retiro Arquidiocesano, realizado em Londrina, cenas como a apresentação de grupos Indígenas e o louvor a Nossa Senhora Aparecida mereceu a minha atenção e me levou a uma breve reflexão.
Quando assisti a cena dos Índios entrando no palco e apresentando a sua cultura através da dança, imediatamente me reportei aos tempos passados e pensei na tentativa dos Jesuítas em catequizar os índios , logo, veio a pergunta: por que não tiveram o sucesso esperado?
Talvez, porque a idéia central tenha sido “pensar o outro a partir de si mesmo”, ou seja, tentar submeter o outro à sua cultura, religião, seus valores, idéia essencialmente Etnocêntrica, sem respeitar o “outro” nas suas especificidades.
No caso dos índios a historia mostrou que esse método não funciona, acredito que a Igreja Católica, em tempo, se converteu nesse momento, pois, segundo o Padre Moscovi a palavra CONVERSAO significa mudança de Rumo, mudar a estratégia, o método, a visão sobre do mundo.
A manifestação da cultura Indígena, feito na apresentação da dança, me induz pensar que a Igreja Católica desta vez, está no caminho certo, o método de Evangelizar me parece estar em sintonia com os ensinamentos de Jesus, pois está presente não só o respeito a sua cultura, mas, e, especialmente a aceitação do “outro “ na sua forma de ser e de viver.
Da mesma forma foi o louvor inusitado a Nossa Senhora Aparecida, que sai do seu manto Sagrado tradicional, aparece vestida com um manto estampado fazendo referência à cultura Afro. Todo o ritual dessa apresentação traz consigo a mística da cultura Africana, vestimentas ornamentadas, no ritmo e na letra da musica, foi especialmente diferente de tudo que normalmente assistimos num evento religioso católico.
Diante disso, surge outra pergunta: O que esta acontecendo com a Igreja Católica?
Penso que estamos falando de uma Igreja em processo de Renovação, que traz no seu bojo transformador o “outro” ou o “diferente” como parte integrante de si mesma, mas, como devido respeito as suas especificidades, no seu modo de ser e de viver.
Desse modo podemos até dizer que somos todos iguais diante de nós mesmos, para assim dizer que somos todos iguais diante de Deus.
Tudo isso me faz pensar que nós (Igreja católica) estamos no caminho certo, essa sugestão me faz feliz porque vai de encontro com as minhas convicções, pois tempos passados também me senti excluída do convívio paroquial tendo em vista a minha condição de “Segunda União”, tempos passados e superados. No momento estou vivendo a condição de MISSIONÁRIA das Santas Missões Populares. Isso me faz feliz porque hoje acredito nessa Igreja que se Renova à luz do amor de Cristo, uma Igreja para todos.
Maria Elias Custódio- Missionária das Santas Missões Populares.

Artigos similares

Topo