Você está aqui
Home > Notícias > Novo arcebispo de Londrina toma posse e define ‘diálogo’ e ‘vocações’ como prioridades

Novo arcebispo de Londrina toma posse e define ‘diálogo’ e ‘vocações’ como prioridades

Dom Geremias Steinmetz também destacou Santas Missões e preocupação com a organização do 14ª Intereclesial das CEB’s, que ocorre em 2018 

Na tarde do último sábado (12), Dom Geremias Steinmetz tomou posse do cargo de arcebispo da Arquidiocese de Londrina. Além de autoridades civis, a solenidade atraiu milhares de fiéis, vindos de diversas cidades e paróquias, lotando a Catedral Metropolitana de Londrina. A família de Geremias também esteve presente no local.

Antes da cerimônia, Dom Geremias atendeu a imprensa e falou sobre a responsabilidade de administrar a arquidiocese londrinense. “Eu digo que é uma responsabilidade graça e uma graça responsabilidade. Nada vem de graça. Eu disse um ‘sim’, mas eu sei que este ‘sim’ irá significar muito trabalho, reflexão, oração e síntese das grandes questões teológicas. Eu tenho consciência disso. Deus nos dando saúde, disposição para o trabalho não nos faltará”, disse Geremias, que foi nomeado Arcebispo de Londrina pelo Papa Francisco no dia 14 de junho. 

Entre as expectativas de trabalho, o novo arcebispo definiu como prioridade o diálogo com as lideranças religiosas e também com a população. “Em primeiro lugar, a gente vai trabalhar com bastante diálogo. Nas duas primeiras semanas quero criar um bom contato com os presbíteros, me reunir com todos eles, conhecê-los bem e ouvir suas expectativas. O plano seguinte será de um trabalho forte com as Santas Missões Populares, que já estão acontecendo, sendo que elas geram uma expectativa nova nas arquidioceses. Tenho o desejo de tornar a doutrina da igreja católica mais conhecida pela população”, ressaltou.

Mesmo com expectativas positivas, Geremias prega atenção com a organização do 14º Intereclesial das Comunidades Eclesiais de Base (CEB’s), previsto para acontecer em janeiro de 2018. “É um evento que se volta para o Brasil, e o Brasil se volta para o evento, assim como a América Latina, que trabalha muito bem com a questão das CEB’s e tem desenvolvido essa metodologia em seus encontros. Por isso, devemos trabalhar forte em cima das lideranças”. 

Preocupação com as vocações

Para a Igreja, o mês de agosto é considerado como o “Mês Vocacional”, ação instituída pela 19ª Assembleia Geral da CNBB, em 1981. Cada domingo do mês as celebrações reservam reflexões para determinadas vocações. E justamente a ação das pastorais vocacionais que, segundo Geremias, devem ser trabalhadas com atenção. “Em Paranavaí conseguimos fazer um ótimo trabalho. Hoje a diocese possui 15 seminaristas. Londrina possui uma Arquidiocese tão grande que deveria possuir pelo menos quatro vezes mais a quantidade que possui hoje. Como pessoas de fé, temos que crer na Palavra de Jesus, para o Senhor enviar novos operários para a sua messe”, disse.

Para ele, a evangelização da juventude é o maior desafio da Igreja. “A juventude, hoje, está quebrada em âmbitos psicológicos e culturais devido aos problemas que a nossa sociedade enfrenta. Eles possuem dificuldade em superar os problemas com o modo que as famílias vivem atualmente. O ouvido das pessoas está cada vez mais duro para escutar a Palavra de Deus. Por isso, devemos ter cuidado e carinho com as vocações”, completou.

Cerimônia

Contanto com 16 bispos e mais de 300 padres, a cerimônia de posse teve início com uma acolhida por parte do administrador apostólico da Arquidiocese, Dom Manoel João Francisco, e por Dom Orlando Brandes, que antecedeu Geremias. Ambos fizeram a entrega da cruz ao novo arcebispo e iniciaram uma aspersão de água benta ao público presente. O próximo passo foi a condução ao sacrário, no qual Geremias entregou todo o seu ministério episcopal. 

O padre Marcos José dos Santos, vigário geral da Arquidiocese de Londrina, foi o responsável por ler, em voz alta, o decreto 12.418/2017, que nomeava Dom Geremias ao cargo. Recebendo em mãos o decreto, o novo Arcebispo de Londrina mostrou o documento aos fiéis ao mesmo tempo que o sino da Catedral badalava. 

A partir de então, começaram os pronunciamentos. Além de Dom Manoel João Francisco, discursaram também Dom Mauro Aparecido dos Santos (presidente da Regional Sul II da CNBB); o prefeito de Londrina Marcelo Belinati; a Irmã Maria Fernanda Godoy, representante do Núcleo Londrina da Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB); o padre André Luís de Oliveira, representando o clero londrinense; e Benedito Maurício Agostinho, em nome dos leigos cristãos. O único nome que estava na pauta mas preferiu não discursar foi Dom Orlando. Sempre muito ovacionado quando o seu nome era citado, o arcebispo de Aparecida abriu mão de seu pronunciamento dizendo que aquele “era o momento de Geremias”.

Depois dos pronunciamentos, a cerimônia prosseguiu com a transmissão do Báculo, símbolo do serviço pastoral, para que Geremias assuma o comando de seu “rebanho”. Conduzido até à cátedra por 11 decanos e 1 diácono e do coordenador do clero, Dom Geremias deu início a celebração eucarística. O evangelho (Mt 14, 22-33), que fala sobre quando Jesus caminhou sobre as águas e permitiu que Pedro fizesse o mesmo, instruindo a ele e aos apóstolos, através do temor, a afrontar os perigos e aflições. Contextualizando para a nossa realidade, Geremias quis dizer aos fiéis que após um período de sede vacante, enfim ele estava ali.

O final da cerimônia ainda reservava emoções. Dom Manoel recebeu uma homenagem pelos serviços prestados nos meses que trabalhou como arcebispo, e a mãe de Dom Geremias, Ana Maria BiergerSteinmetz, conduziu a imagem de Nossa Senhora até o altar. Junto de crianças, mãe e filho fizeram a consagração à padroeira do Brasil. 

Dom Geremias Steinmetz começa os seus trabalhos como Arcebispo de Londrina já nesta segunda-feira (14), a partir das 9 horas, quando deve se reunir com lideranças religiosas.

Por Edson Neves

 

Artigos similares

Topo