Você está aqui
Home > Capela Mãe da Divina Providência > Um pedaço de história – Capela Mãe da Divina Providência

Um pedaço de história – Capela Mãe da Divina Providência

Comunidade faz parte da Paróquia São Vicente de Paulo e desde o seu início nos anos 2000, buscou aplicar os conceitos de “Igreja Pedra” e “Igreja Viva”

 

A história da Capela Mãe da Divina Providência se deu início na década de 2000. Organizadas pela Paróquia Nossa Senhora das Graças e o seu pároco na época, Padre Mauro, as primeiras missas que aconteciam na região, entre os anos de 2000 a 2002, foram realizadas nas casas dos moradores. Estas primeiras celebrações despertaram o interesse da população em ter a sua própria capela, que ainda não possuía nome.

Em 2005, devido à proximidade geográfica com a Paróquia São Vicente de Paulo e com algumas lideranças morando próximas à atual capela, a comunidade intensificou o seu anseio por um espaço e começou receber o suporte vicentino. O pároco da São Vicente na época, padre Ildo Borges Valadão, se comprometeu com o projeto da compra do terreno, autorizada pelo então Arcebispo Dom Albano Cavallin. E de uma conversa entre o padre e o arcebispo, é que a capela recebeu o seu nome: Mãe da Divina Providência.

Logo, o espaço de 2.550m² teve o seu projeto arquitetônico aprovado e a base da futura capela estava pronta. Antes do início da obra, as celebrações com o padre Ildo aconteciam de forma esporádica, ao lado do terreno, e em cima de caminhões.

Entre a troca de párocos na Paróquia São Vicente de Paulo, por volta de 2007, as obras na Mãe da Divina Providência ficaram paralisadas cerca de um ano. Novo pároco da São Vicente, o Padre Joel Medeiros tinha o intuito de construir, ao mesmo tempo, a “Igreja Pedra” e a “Igreja Viva” e, em um curto espaço de tempo, uma cobertura foi construída e missas dominicais começaram a ser celebradas. Como o espaço era improvisado, equipes eram formadas e se organizavam para arrumar o espaço.

Aos poucos, a Capela Mãe da Divina Providência foi tomando sua forma. No final de 2013, ocorreu um fato marcante: a ordenação do diácono Ricardo da Silva, com uma missa celebrada na nave pelo Arcebispo Dom Orlando Brandes. Em janeiro de 2014, o Padre Rafael Solano assume como pároco na São Vicente e, a partir dali, passos importantes foram dados. Pastorais como o Dízimo, Família e Coroinhas foram criadas, além do início das aulas de catequese. Além disso, a Capela agora era totalmente responsável por bancar os seus custos. Com isso, a Mãe da Divina Providência reforçou a sua união e pouco a pouco foram concluindo as obras da Capela, como a colocação de pisos, os bancos, e acabamentos como o forro e a pintura. Em dezembro de 2015, a Capela recebeu o Sacrário e a nova Sé.

Com “vida própria”, atualmente o local está com as suas obras praticamente terminadas. Por meio de um consórcio, foi adquirido um terreno de 525m² em frente à Capela, onde espera que seja um futuro Centro Pastoral. Com a ordenação de Dom Geremias Steinmetz como o novo Arcebispo de Londrina, a comunidade busca agendar para o mês de dezembro – quando os acabamentos finais terminam – uma celebração de dedicação ao altar, para afirmar de vez o nome Mãe da Divina Providência.

A festa da padroeira é comemorada sempre no terceiro sábado de novembro. Já a festa da co-padroeira – Madre Leônia Milito, é realizada no fim de julho, em homenagem à data de morte da Madre, que está em processo de beatificação.

A Capela Mãe da Divina Providência fica localizada na Rua José Nogueira Franco, 435, no Parque Residencial Alcântara. As celebrações ocorrem todos os domingos, às 17 horas.

Por Edson Neves

Topo