Você está aqui
Home > Notícias > Bem-aventurados aqueles que acreditam na vida

Bem-aventurados aqueles que acreditam na vida

Na Semana Nacional da Vida, o padre Rafael Solano fala sobre a ligação do tema com Maria e o Dia do Nascituro

Teve início no último domingo (1) e segue até o próximo dia 7 de outubro a Semana Nacional da Vida 2017, em prol da defesa, do amor e do respeito ao dom de viver. O evento foi instituído em 2005 pela 43ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). O tema deste ano foi extraído do livro de Lucas, capítulo 1 versículo 42: “Bendito é o fruto do teu ventre”, estando em sintonia com o Ano Nacional Mariano.

O padre Rafael Solano comentou sobre o tema deste ano e a sua ligação com os 300 anos da Padroeira do Brasil. “O tema deste ano é ‘conclusivo’, de um tempo que estava se gestando. Bem-aventurados aqueles que acreditam na vida, e Maria foi a primeira a acreditar em uma vida especial, a vida divina. Este é um ponto definitivo em nossa teoria porque para nós o mistério da encarnação e a experiência desta encarnação só pode ser compreendida através da vida humana”.

Já no dia 8 de outubro, é comemorado o Dia do Nascituro, que em Londrina estava em discussão desde 2013 e após inúmeras discussões e audiências públicas, tornou-se lei em junho deste ano. O objetivo é de garantir o direito à vida dos nascituros desde a etapa de concepção até o momento do parto. Citando o tema da Campanha da Fraternidade de 2008 (“Escolhe pois a vida e viverás” – Dt, 30,19), o padre fala sobre uma perda de identidade cultural sobre a vida. “Todos nós somos cientes da crise que atravessa o mundo perante o valor vida humana. Muitas culturas se esqueceram de que, antes de falar sobre qualquer coisa, é fundamental falar na pessoa. As vidas humanas foram colocadas perante situações críticas. Você pode ser considerado um humano a partir de um determinado momento, e esse ‘limite’ é delicado, porque nega a possibilidade de humanização desde o momento da concepção”, completou.

Antes de ser institucionalizada, ações como campanhas, encontros e cursos com a temática da vida já eram realizados desde a década de 1980. E o pároco da São Vicente de Paulo espera resultados positivos do evento deste ano. “Espero que a Semana Nacional da Vida surta efeitos muito valiosos tanto na reflexão quanto nas decisões que devemos tomar durante a vida. O nascituro tem dignidade jurídica, humana e a possibilidade de viver independente de sua capacidade cognitiva”, conclui.

Por Edson Neves

 

Artigos similares

Topo