Você está aqui
Home > Notícias > Sonhos que são tirados do papel

Sonhos que são tirados do papel

Correios lançam mais uma campanha de adoção de cartas de Natal; Crianças de 15 escolas municipais participam da ação

Aconteceu na manhã de segunda-feira (13) a solenidade de abertura da campanha Papai Noel dos Correios 2017. A ação acontece há 28 anos e busca levar alegria e esperança para crianças em estado de vulnerabilidade social. No total, são mais de quatro mil cartinhas esperando adoção, número maior do que em 2016, que foi de 3.037. Crianças que estudam até o 5º ano do ensino fundamental, de 15 escolas municipais, sendo 12 da zona urbana e 3 da zona rural, estão participando da campanha deste ano.

“Ela (a campanha) começou com um gesto simples de empregados, que recebiam as cartinhas endereçadas ao Papai Noel e não sabiam o que fazer com elas. Com isso, começaram a comprar, por conta própria, os presentes. A partir de um momento chegou a um montante que ficou impossível de atender, e com isso começamos a contar com a participação da sociedade”, afirmou o superintendente estadual dos Correios no Paraná, Paulo Cesar Kremer dos Santos.

Kremer também comenta que a empresa busca atender 100% das cartas recebidas. “Acho que uma criança que escreve para o Papai Noel se frustraria bastante se não recebesse o seu presente. Dentro dos critérios estabelecidos no cadastro e com a ajuda dos padrinhos e parceiros, procuramos atender a todos. Ao longo destes 28 anos, muitos sonhos foram tirados do papel e se tornaram realidade”, completou.

Os pedidos são variados: desde a brinquedos simples como bonecos e bolas de futebol, a roupas, calçados, material escolar e cestas básicas. Muitos destes pedidos sensibilizam quem se interessa em adotar uma cartinha de Natal. “No ano passado havia o pedido de uma garota que queria de presente um perfume, para dar de presente à mãe, pois queria senti-la cheirosa”, disse o coordenador regional da campanha, Antonio Ferreira Santos. O momento da entrega também é emocionante, segundo o coordenador. “É o auge da campanha. Todo esse trabalho para ver o sorriso da criança não tem preço. É uma coisa inesquecível”.

A palavra de quem participa

Daniel Vitor Vicente participa pela quinta vez do Papai Noel dos Correios. Professor da rede estadual de ensino, ele iniciou adotando apenas uma carta. Com a ajuda da esposa, Daniel criou uma rede de solidariedade, composta por amigos e parentes, na qual buscam ajudar, em maior escala, os pedidos das crianças. Como a maioria dos participantes, segundo ele, não tem condições de comparecer aos postos de adoção, o casal fica responsável por recolher o dinheiro dos interessados, selecionar as cartas e comprar os presentes. “Ano passado escolhemos oito cartas. Este ano mais amigos resolveram colaborar e já selecionamos quinze”, comenta.

Sobre os pedidos, o educador explica suas preferências. “Como professor, costumo escolher cartas que contém pedidos de brinquedos que exercitem a imaginação das crianças. Pedidos de alimentos também mexem com o nosso coração”, acrescenta.

Como adotar uma cartinha

Os interessados em adotar uma cartinha de Natal devem comparecer a um dos três postos de adoção dos Correios – na Agência Centro (ao lado da Biblioteca Pública Municipal); na agência da Rua Sergipe número 1765 ou na agência da Rodovia Celso Garcia Cid, 900 até o dia 15 de dezembro. Após esta data, os presentes serão organizados e entregues nas escolas cadastradas entre os dias 18 a 20 de dezembro. Não há limite de cartinhas por pessoa. Os Correios também informam que a empresa não contata a população para contribuir com a campanha por meio de telefonema, correspondência ou e-mail. A única maneira de participar é comparecendo aos postos de adoção.

Por Edson Neves


Papai Noel Correios

Flickr Album Gallery Powered By: Weblizar

Fotos: Edson Neves

 

Artigos similares

Topo